sábado, 10 de janeiro de 2015

A História do Kilt - Parte 1, O Surgimento




O surgimento do kilt é cercado de mitos, lendas e controvérsias, alguns dizem que foi uma invenção irlandesa, outros dizem que era um costume celta que surgira antes mesmo dos romanos chegarem à Bretanha, outros que era usado durante a idade média (ideia popularizada pelo filme Coração Valente, ótimo filme, mas uma abominação histórica) , mas todos esses estão errados. Apesar de existirem registros de antigas túnicas usadas pelos povos celtas, tanto na Escócia como na Irlanda, nenhuma dessas roupas pode ser considerada um kilt. As imagens desse período retratam túnicas com cintos, mas nenhuma delas mostra nada parecido com um kilt.

Na primeira Imagem vemos a primeira
 ilustração existente de um "grande Kilt"
(primeira década de 1600)
Na segunda imagem vemos
uma das diversas maneiras de usar
um grande kilt
Ao contrário da crença popular e dos mitos espalhados sobre o kilt seu surgimento ocorreu apenas no século XVI, nunca tendo existido durante qualquer período anterior. A primeira evidência da existência de algo semelhante a um tipo de kilt, é datada de 1578, escrita por um Bispo Lesley sobre a vestimenta dos escoceses das terras altas. A descrição do bispo sobre o “kilt” diz que tanto nobres quanto camponeses o usavam (apesar dos nobres usarem mais cores nos seus). Ele descreve a vestimenta como um manto que poderia ser usado com várias dobras e que era principalmente para uso prático (como a guerra, por exemplo) e não com o objetivo de ornamentação. É importante notar que isso não é uma clara descrição de um kilt, devido a ausência do cinto, entretanto pode ser considerado o registro mais antigo de algo semelhante a um feilidh-mòr  (popularmente conhecido como o “grande kilt”).

O registro mais antigo de um "grande kilt", o precursor do que eventualmente se tornaria o kilt moderno é de 1594 e foi escrito em gaélico no livro Life of Red Hugh O’Donnell (tradução em inglês já que não sou fluente em gaélico). Nele um relato sobre mercenários escoceses empregados por O’Donnel nos mostra a descrição de uma espécie de manto que ia até a panturrilha com laços e fechos. É possível assumir que essa forma de se vestir fosse usada alguns anos antes, entretanto isso seria apenas um palpite pois esse é o primeiro registro escrito existente dessa vestimenta.

Vale notar que o grande kilt nada mais é do que um grande pedaço de tecido dobrado e com um cinto, é importante observar que não existem registros de como usar um grande kilt, e provavelmente existiam variações quanto a isso durante o período (dentro de certos padrões é claro) por isso não se preocupe com dobras exatas ou um padrão correto de usar um grande kilt, pois além de variações regionais existiam também para diferentes situações (frio, calor, chuva)

Esse é o fim do primeiro post sobre a história do kilt, logo continuarei a escrever a saga da turbulenta história do típico traje escocês, chegando até o kilt como nós o conhecemos hoje.

Fontes:Old Irish and Highland Dress por H. F. McClintock 
            Scottish Tartans Museum (http://www.scottishtartans.org/kilt.html)

sexta-feira, 11 de julho de 2014

OPÇÕES DE AGASALHOS COM KILT PARA O FRIO


Olá, Rapazes!


Hoje eu recebi o e-mail do William: 



ola!! estou com um pequeno problema rsrs, acabo d comprar um kilt com sporram e desejo usar com coturno e uma camisa manga comprida,  a minha preocupacao eh a seguinte a noite ta fazendo muito frio e o q eu poderia usar por cima da camisa?? Sueter fikaria bom??? Desde de ja agradeco  abracosAtt william


Eu acho que depende muito do estilo. Montei no polyvore o quadro abaixo



Opões para o frio






Jaqueta de couro é indicado para montar looks mais rockers, ideal para baladas e locais alternativos (p. ex. Augusta, baladas pós-punk)



Paletó é ótimo para situações formais e convenhamos que  é um desafio usar no calor, por isso eu uso muito no frio, às vezes com corset, colete ou pulôver que usados sem paletó ficam num meio termo.



Por último, sobretudo. Sempre discretos e versáteis. 

domingo, 12 de janeiro de 2014